quarta-feira, 3 de maio de 2017

Prova da I Unidade (Turma 3ºA Matutino)

Escreva um texto dissertativo, com o mínimo de 30 linhas, expondo os interesses que estavam por trás da política imperialista das nações europeia, a partir da segunda metade do século XIX, e as justificativas utilizadas nesse processo de expansão neocolonial.






PERÍODO: 12/05 - 14/05
OBSERVAÇÕES: Não será aceito postagem fora do prazo, assim como também, cópias da internet, livros ou revistas. O objetivo desse trabalho é fomentar a produção textual, e não, a colagem de trabalhos alheios.
Vale lembrar, que no Brasil, plágio é crime!
Valor: 04 pontos.

23 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. O processo de industrialização do continente Europeu acarretou ampliação da economia do local. As indústrias ofereciam um bom retorno de lucros, mediante disso tornou-se possível o investimento e financiamento das grandes potencias na missão de encontrar e expandir novos mercados consumidores e, além disso, também buscaram se apossar de matéria- prima, que seria muito útil para abastecer a rede industrial. Por virtude disso que, grades potências europeias direcionaram-se para a África e Ásia com o intuito de explora-las e conseguir extrair o máximo de benefícios.
    Para dar seguimento e aumentar os lucros obtidos por causa dos processos capitalistas da industrialização era imprescindível que as nações europeias recorressem a esses continentes para torná-los mercados de consumo de bens produzidos na Europa. Foi por isso que fizeram conjuntamente também a exploração das riquezas naturais dos territórios. É importante frisar que a superlotação da Europa foi amenizada porque uma parcela do excedente populacional migrou para esses novos continentes dominados, no século XIX, o número de habitantes que a Europa comportava ultrapassava 400 milhões de pessoas.
    O modelo neocolonial estava em volto em interesses político-econômicos e tinha dessemelhanças em relação ao colonialismo, a existência de interesses velados por trás de uma teoria ideológica é característica do neocolonialismo e constitui uma das maiores diferenças entre o colonialismo e o neocolonialismo.O modelo imperialista se sustentava se baseando em princípios retirados de teses, como a teoria que dizia que os europeus eram mais evoluídos que os demais povos, ou seja ocupavam o patamar mas alto em relação ao desenvolvimento humano,tal teoria é denominada Darwinismo social.
    Para definir a partilha das terras dominadas houve repartições territoriais que não levaram em consideração fatores culturais, apenas respondeu aos interesses capitalistas que sobrepujava tudo e qualquer coisa, já que seu grande desejo era transformar os territórios em fornecedores de materiais baratos e almejavam aplicar a dominação econômica. A Ásia e a África eram a materialização da solução de alguns problemas europeus e por isso, gradativamente muitos países da Europa se envolveram no processo de neocolonização.
    A discriminação do caráter social esteve presente nesse processo e também na Europa no período do seculo XIX , a mutação da economia se expandiu resultando em transformações por causa da revolução industrial que ampliou a capacidade produtiva.O imperialismo de alguns países fez com que o preconceito cultural se manifestasse acentuadamente, e atitudes sem fundamento surgiram mas acreditavam piamente que as suas ações eram corretas e justas e demonstrava que exerciam a hegemonia evolucional dos europeus perante e sociedade.
    O desejo da conquista global se difundiu durante a historia expressivamente,todos compartilhavam a vontade de submeter os povos ao seu poder transmitindo ao máximo alcance possível a sua religião suas tradições e costumes desconsiderando a carga cultural de outrem. Além de exibir superioridade econômica no século XIX,a Europa tinha a convicção de possuir superioridade evolutiva se comparada com o resto do mundo.
    As justificativas utilizadas nesse processo de expansão neocolonial estão inteiramente ligadas a manipulação expressa em suposições das ideias etnocêntricas cercada de pensamentos racistas que inferiorizavam povos de outras etnias que fugiam do padrão branco europeu considerando irrelevante a cultura deles e considerando que se encontram no estagio inferior acerca da organização social, tudo isso deu vazante para os europeus se sentirem no direito de imperar sobre os povos africanos e asiáticos e os do novíssimo mundo (Oceania).


    Alunos: Thailah Emanuelle,Aline,Clecilene Santos,Fabio Junior ,Ycaro Ferreira, Maysa Mello, Maria Eduarda, Milena Moura,Rafaelle Reis, Regina Cardoso.

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  12. Os principais motivos da primeira guerra mundial foram rivalidades, nacionalismos, imperialismos, disputas capitalistas, busca por novos territórios e novos mercados, além de um fervor patriótico muito forte. Muitas pessoas acham que a morte do arquiduque Francisco Ferdinando foi o principal motivo, mas não foi, pois tinha muitos interesses por trás disso. Os países considerados mais industrializados viviam em disputas econômicas que resultou como consequência a disputa por territórios como por exemplo, na África e na Ásia. A posse desses territórios, era basicamente o controle de partes dos locais que forneciam matérias-primas, e também a venda de sua produção, produção essa que foi retirada do mesmo território que forneceu a matéria-prima, ou seja essas áreas forneciam e consumiam os produtos industrializados.
    A Alemanha já possuía uma forte indústria, porém ela queria aumentar suas colônias, então entrou em disputa com o país que dominava boa parte das áreas colôniais da África e da Ásia, no caso a Inglaterra. Além dos conflitos econômicos, foi criado os movimentos nacionalistas. Esse clima de disputas e rivalidades só foram aumentando ,a França e a Alemanha já tinha uma grande rivalidade por conta da guerra Franco-Prussiana, onde a França teria sido derrotada e foi obrigada a dar para a Alemanha a região da Alsácia-Lorena, a França indignada com a derrota insiste em uma revanche contra a Alemanha e a partir daí foi criado o movimento nacionalista chamado Revanchismo Francês.
    A Alemanha buscava por expansão territorial e poder politico, e isso fazia com que a Inglaterra ficasse insegura com a possibilidade da Alemanha se tornar uma grande potência econômica. A Itália buscava por poder politico e econômico, e fazia qualquer coisa para conseguir alcançar seus objetivos, tanto que durante a Primeira Guerra Mundial ela muda de lado e troca suas alianças para conseguir expansão territorial, e conseguir ser uma grande potência mundial. O império Austro-húngaro tinha uma certa disputa com o império Otomano por causa da Sérvia, um território localizado entre esses dois países. A Rússia buscava por expansão territorial, pois já era uma grande potência, mas economicamente não era tão forte assim por conta do seu estilo de vida agrário, o que fez com que ela disputasse com o império Otomano a região da Constantinopla. Em 1904 a Inglaterra criou uma aliança com a França e três anos depois com o Império russo, (em 1907) então eles formaram a tríplice entente. Estava acontecendo uma corrida armamentista da Inglaterra contra a Alemanha, as duas eram uma grande potência econômica, porém é bom citar que a Inglaterra tinha um grande poder político, por conta das quantidades de colônias, não só espalhada na Europa como tinha colônias em todo o mundo. E com essa corrida armamentista, a Europa toda começou a se arma, era bom para os negócios, porque eles tinham uma grande produção, como venda dos produtos em pequenas colônias. Vale lembrar que a justificativa usada pelas nações europeias para a invasão e colonização em outros territórios era o Darwinismo social, que consistia na ideia de que existia uma ‘’raça’’ e nação superior a outra.
    A partir disso vários países entram na Primeira Guerra Mundial, cada um com seus interesses e justificativas para conseguir seus objetivos. Podemos observar que os interesses buscados pelos países era a busca por novos territórios ,pois tinham vários projetos expansionistas, o que gerava poder politico e econômico, disputa capitalista, pois os territórios que eles dominavam normalmente eram ricos em algo do interesse deles ( como carvão, ouro, especiarias etc ) , o que gerava a compra e venda, que era o objetivo de cada nação, para crescer tanto politicamente quanto economicamente, fazendo com que eles sejam uma grande potência. Vale lembrar que as rivalidades e disputas eram carregadas de rancor e ressentimento, além de um fervor patriótico, que influenciava muito os movimentos nacionalistas.

    Alunos: Iara, Izabela, Andreza, Isabelle,Juliane, Malú, Alisson, Juliana, Roseane, Luana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Galera,
      A questão era sobre imperialismo, não sobre a I Guerra Mundial.

      Excluir
  13. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  14. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  15. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  16. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  17. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  18. A política imperialista foi uma política de expansão das principais nações européias, que objetivamente queria os mercados consumidores de mão de obra barata, e de matérias-primas para o crescimento das indústrias.
    Os interesses eram a busca por grande poder econômico, poder político, expansão do território e a busca de territórios novos para que pudessem investir em coisas que trouxessem lucro, e também buscavam matérias-primas nessas regiões.
    Como quase tudo que eles faziam sempre tinha interesses por trás, com dos objetivos de investir nas regiões era fazer com que o custo de capitais reduzisse na Europa com o intuito de obter economia. Nas dominações de territórios eles usavam justificativas preconceituosas e etnocêntricas.
    Aproveitavam-se da falta de conhecimento dos povos de territórios dominados, e utilizavam a justificativa de que eram superiores, eles falavam coisas que convenceram o povo de que realmente eram desenvolvidos, e que eles iriam ensinar civilizar esse povo. Esses foram um dos pretextos civilizados para dominação.
    A industrialização foi o que motivou os países a querer conquistar os territórios. Os países que tinham se industrializado, principalmente a Inglaterra que precisavam de economias, investimentos, mercado consumidor, etc. Era na industrialização que eles encontrariam a base fundamental de suas economias. Eles também queriam expandir os impérios e queriam o escoamento populacional, pois os países estavam lotados, e eles queriam tirar um pouco dessas pessoas do espaço urbano e mandar para novos territórios que eles estavam conquistando.
    Devido as Revoluções Burguesas e a formação de nações modernas na Europa foi feita a industrialização desses países. Essa industrialização trouxe uma grande concorrência no meio dessas nações que resolveram brigar por territórios e montar suas próprias fronteiras com exércitos e diplomacias.
    A industrialização tornou mais forte o caráter europeu, e exigia que tornassem inteira a economia, ou seja, tornar inteiro o capital fornecido pela indústria, que são todo o dinheiro do processo de produção, sendo assim, ela precisava de estabilidade financeira.
    A revolução industrial trouxe novas maquinas para que o processo produtivo fosse ainda mais eficaz, porem essa automatização e mecanização da industria fez com que a Mão de obra operaria fosse cada vez menos requisitada no processo produtivo fazendo com que milhares de trabalhadores ficassem desempregados.
    A Europa se tornou o continente mais poderoso do mundo, ela viveu uma necessidade de conquistar novas terras porque precisava encontrar novos mercados para vender seus produtos industrializados e as novas terras eram também para resolver o problema dos desempregados da excelente Mão-de-obra.
    Com isso os setores do capital financeiro se juntaram com as indústrias, inovando formas de fortalecer a economia mundial integrada fazendo com que as nações imperialistas industrializadas favorecessem a colonização de regiões da África, Ásia e Oceania.
    Esse favorecimento tinha interesses políticos econômicos que visavam a descoberta do diamante na África e a abertura do canal Suez, além das riquezas naturais como ouro e cobre,também havia intenções estratégicas sobre regiões localizadas próximas ao mar mediterrâneo por causa dos privilégios no comercio marítimo.
    Certamente esse processo de expansão neocolonial foi justificado. Essa justificativa foi à civilização dos povos que não chegaram ao ponto desejável, chamamos isso de darwinismo social, fazendo com que assim os europeus conquistassem as terras.


    Bruno Reis, Dineia, Ester Nolasco, Gilmara de Jesus, Lucas Fernando, Luiz Pereira, Rebeca Rodrigues, Rogis Soares, taislane, Taize Rodrigues.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. -Cuidado com a organização textual.
      -Poderiam ter tratado da partilha da África.
      -Faltou tratar do Darwinismo Social e do Determinismo Geográfico.

      Excluir
  19. Alunos: Alexandre, Erica ,Guilherme Gonçalves, Geane Santos, Hosana Santos, Rebeca Andri, Rebeca Borges, Maria Rilane, Stefany Pontes, Thays Gabrielle.

    Os principais fundamentos desses movimentos eram: exploração política econômica, domínio e a conquista das nações Européias que possuíam grande desenvolvimento industrial, para com os continentes asiáticos e africanos, ou seja, buscavam por produtos industrializados e visavam explorar matéria prima para produzir mercadorias industrializadas .Países que estavam industrializados, como Alemanha, Inglaterra, França, Bélgica,Estados Unidos, buscavam por melhorias, e essas melhoras incluía procurar por mão de obras baratas, como solução.
    O liberalismo econômico que tinha seus interesses voltados apenas para o lucro que eles ganhariam, também era essencial para as indústrias dos seus países, o alvo principal deles era buscar em partes periféricas porque assim comprariam barato, venderiam mais caro e lucraria ainda mais. Esses países também não estavam satisfeitos com a quantidade de pessoas acumulando, e aumentando a população, e logo tiveram a idéia de tirar algumas pessoas para colonizar outros lugares, dentro da África e da Ásia. Ou seja, o Imperialismo visava dominar países que julgavam ‘’ iguinorantes’’ viam pessoas incapazes de se levantar contra eles sem armamento e assim as usavam para seus interesses pessoais.
    Exploravam suas economias, mão de obra e queriam expandir sua cultura dentro dos países não industrializados. Os Estados Unidos usa suas jogadas, e influencia a America latina indiretamente a doar armas e territórios se fazendo de coitados, sendo assim já querendo colonizar. O Egito também teve suas terras colonizadas, alvo do imperialismo teve suas terras sujeitas a interferências, apesar de não pertencer a eles. Os Estados Unidos e a Inglaterra estavam de olho no Brasil, viram a grande produção de café e borracha, então começaram a comprar a matéria prima e vendiam industrializados.
    O Brasil comprava bens de serviço, e então assim os países Europeus acabavam ganhando do mesmo jeito e ainda mais, e por ser um país muito pobre naquela época, e com a discrepância da economia, apenas os latifundiários enriqueciam . No período de 1876 à 1914, quase toda a África, grande parte da Ásia e América Latina se tornaram colônias e semicolônias de poucos países imperialistas. A produção pelo trabalho forçado e medíocre de milhões de homens do país colonial, a maior parte dessa produção os monopolistas estrangeiros confiscavam, por conta disso os recursos econômicos não cresciam como devia. Os lucros gigantescos eram extorquidos das colônias, dava à burguesia monopolista a possibilidade de poder subornarem alguns operários qualificados.
    A exploração das colônias se agravou mais por conta das contradições do sistema capitalista. O neocolonialismo também se favorecia das riquezas desses países prometendo que eles iriam deixa eles mais industrializados, dando uma desculpa de que estavam levando uma nova civilização para eles ( o evolucionismo social). A África foi a que mais sofreu, por ser dividida dívida entre as potências coloniais que tiravam todas suas riquezas.É importante ressaltar que essa divisão não levou em conta as etnias que viviam ali então acabaram juntando povos e tribos rivais .
    Os países industrializados usaram a justificativa de que estavam apenas industrializando o país , iludindo-os que a sua economia ia melhorar significamente em relação a situação que estavam, e então Africa , a Asia e a America Latina que estavam passando por um momento de pobreza, e deparam-se com seus países colonizado pelo continente Europeu. Sendo assim A conferencia de Berlim determinou como os países ficariam o que acabou gerando uma rivalidade por um ter mais favorecimento de terras que a outra o que levou a concorrência e da origem a primeira guerra mundial .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. -Ter atenção com a estrutura textual: Introdução, Desenvolvimento e Conclusão.
      -Cuidado com a escrita de algumas palavras.
      -Poderiam ter tratado um pouco da Partilha da África.
      -Não tratou do Darwinismo Social e do Determinismo Geográfico.

      Excluir